Qual a diferença entre Dízimo e Oferta?

18.10.2021 - 18/10/2021
Qual a diferença entre Dízimo e Oferta?

Qual a diferença entre Dízimo e Oferta?
Muitos fiéis têm dúvidas sobre a diferença entre Dízimo e Oferta.  Há aqueles que não partilham o Dízimo porque já fazem a Oferta nas Celebrações ou não fazem a Oferta porque já partilham o Dízimo.  Tanto pelo Dízimo, como pela Oferta a Comunidade está sendo valorizada e recebendo auxílio. Contudo, é importante ter presente que a Oferta não substituiu o Dízimo.

O que é a Oferta?
Também conhecida como Coleta, a Oferta é uma contribuição financeira que você pode oferecer nas Celebrações, geralmente durante a Preparação das Oferendas, no caso da Santa Missa, ou em momento conveniente, no caso de uma outra Celebração. A oferta é um gesto livre, sem compromisso e sem uma periodicidade definida. Não é necessariamente realizada na sua própria Comunidade, isso porque muitas vezes somos visitantes em outras devido Celebrações especiais ou alguma viagem que realizamos. Ao visitar aquela Comunidade podemos nos sentir motivados a deixar alguma contribuição e fazemos isso por meio da Oferta. Creio que já é possível perceber que a Oferta é um gesto nobre de agradecimento e colaboração, mas é esporádica e não expressa, necessariamente, nossa pertença e comprometimento com a Igreja. Ele tem seu valor e significado porque demonstramos até certa medida sensibilidade com as necessidades da evangelização e caridade. Em muitas paróquias, além de valores em dinheiro, os fiéis são motivados a oferecer Ofertas em alimentos, materiais de higiene e limpeza, roupas, etc. em vista de auxiliar a ação social no atendimento às famílias com alguma carência, por exemplo. Há, ainda, a existência de Coletas Especiais por meio das quais os fiéis são motivados a contribuir com realidades específicas. Por exemplo: na Sexta-feira Santa é realizada a Coleta para os Lugares Santos em vista de ajudar na manutenção dos Santuários na Terra Santa que marcam os lugares por onde Nosso Senhor esteve e viveu.

O que é o Dízimo?
Diferente da Oferta, um gesto esporádico e que pode ser realizado na nossa própria Comunidade ou em qualquer outra que estejamos visitando, o Dízimo já é um gesto estável e repetido. Por meio dele demonstramos mensalmente nosso compromisso e corresponsabilidade com a missão evangelizadora e manutenção das necessidades da Comunidade. Diferente da Oferta, o Dízimo não é algo esporádico, mas se realiza mensalmente, de forma generosa e consciente. De fato, a Comunidade pode contar com a fidelidade, tanto, que um cadastro é realizado e posso ter um envelope ou carteirinha para a Partilha. Muitos perguntam se o valor do Dízimo deve ser 10% em relação aos ganhos mensais. Sabemos que há pessoas que fazem a experiência do Dízimo com tamanha profundidade que partilham realmente 10% sobre o que recebem. Contudo, a mensagem da Pastoral do Dízimo é que cada fiel deve discernir o valor que deseja partilhar todos os meses. Uma dica pode ajudar: o valor não deve ser tão pequeno que parece ser insignificante, mas também não seja tão alto que traga alguma dificuldade para o fiel e sua família. Ou seja, a medida do Dízimo é o coração e o bom senso de cada fiel. Importante é que o valor partilhado realmente faça diferença como gesto de desapego e partilha de vida.

E porque fazemos a Partilha do Dízimo e a contribuição com a Oferta no momento da preparação das Oferendas?
Geralmente a partilha do Dízimo ou a contribuição com a Oferta é realizada, na Santa Missa, durante a Preparação das Oferendas. É quando o sacerdote prepara o Altar e apresenta os dons do pão e do vinho que se tornarão, com a Consagração, o Corpo e Sangue de Jesus. Tomando o pão, o sacerdote reza: “Bendito sejais Senhor Deus do Universo pelo pão que recebemos de vossa bondade, fruto da terra e do trabalho humano, que agora vos apresentamos e para nós vai se tornar pão da vida”. O mesmo faz com o cálice com vinho, que vai “se tornar vinho da salvação”. Durante estes ritos realizados pelo Sacerdote, ao partilhar o Dízimo ou contribuir com a oferta, nos unimos ao pão e ao vinho, frutos do trabalho humano e que se tornarão o Corpo e o Sangue de Jesus. No pão e vinho partilhamos e ofertamos a Deus a nossa vida. Há momento mais adequado que este para apresentar a Deus nossa partilha do Dízimo e o oferecimento de nossa oferta? Reconhecemos a grandiosidade de Deus e o quanto Ele, de forma totalmente gratuita, nos cumula de bênçãos. Igualmente de forma gratuita, partilhamos nosso Dízimo com fé e senso de responsabilidade pela missão e caridade. E se não bastasse isso, somos tão agradecidos que, além da Partilha do Dízimo, esporadicamente, nos motivamos a exercer ainda mais nossa ação de graças a Deus realizando o gesto da Oferta.

Então, devo ser Dizimista ou apenas contribuir com a Oferta?
Todo fiel deve ser Dizimista. É este o modo pelo qual expressamos nossa fé em Deus, nosso compromisso com a Comunidade e nossa participação na evangelização e serviço da caridade. De forma periódica, sistemática, manifestamos nossa pertença à Igreja quando partilhamos nosso Dízimo. Também podemos, como dizimista, contribuir com nossa Comunidade ou, quando visitante em outra, realizar Oferta em determinada Celebração sempre que desejarmos, contudo, trata-se de um gesto esporádico. Compromisso manifestamos com a Comunidade quando somos dizimista fiel e partilhamos mensalmente o Dízimo. Para concretizar o compromisso, até um cadastro é realizado e, deste modo, deixamos claro e transparente o quanto somos gratos à Deus e o quanto acreditamos na Comunidade para contribuir com a edificação da Igreja de Cristo.

acompanhe nossas
redes sociais
Acompanhe o Facebook
Acompanhe o Instagram
Acompanhe o YouTube

Copyright © Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados, conheça a politíca de privacidade.

Desenvolvido com amor Agência Arcanjo